…dos livros que lí(9)

16 09 2010

Título: O Reino das Mulheres
Editora: Livros do Brasil
Lançamento: 1970
Autor: Jerry Sohl

O livro faz parte de uma antiga coleção de F&C, talvez uma das mais antigas já publicadas chamadas coleção Argonauta, publicada na década de 70, não sei ao certo o ano de publicação do primeiro volume e nem do último, fato este que não importa neste momento.
O importante é saber sobre este número especificamente, o de número 25, com o título de O Reino das Mulheres de autoria de Jerry sohl, esta novela foi publicada nos Estados Unidos em 1953 sob o título de The Haploids que faz muito mais sentido quando se descobre onde o termo é usado na estória.
Travis, um jornalista que aguardava alta em seu quarto no hospital de Union City vê-se totalmente envolvido na trama quando vê uma mulher entrar no hospital correndo para dentro do hospital, horas antes, Travis havia se espantado com um velho que dava entrada prestes a morrer e aos gritos dizia haver uma conspiração sendo tramada e que todos estavam condenados, os gritos impressionavam tanto Travis não dormiu, ao ver a loira obstinada entrar no hospital resolve investigar e a vê entrar no quarto do velho, corre contra ela e pega-se em luta corporal até fazê-la desistir.
Em um pedaço de papel que o velho derrubava no chão, vê um desenho com o número 23 seguido de um X circulado de maneira elíptica com uma espécie de cruz abaixo, lembrando o símbolo de Vênus.
Na manhã seguinte Travis recebe a visita de seu amigo de redação Hal Cable, conta-lhe a história e em seguida a repete ao oficial Tomkins.
Em poucas horas mais pessoas dão entrada no hospital com os mesmos sintomas visto no velho que havia morrido antes de um exame para detectar o motivo de suas manchas no corpo. Aos poucos todos os homens estão contaminados e com os mesmos sintomas do velho menos Travis e um pequeno grupo de homens que não entendem exatamente o porquê de ainda não terem caído.
Com os principais médicos e autoridades reunidos, começa a alimentar a teoria de conspiração contra os homens uma vez que nenhuma mulher foi atingida pela praga. Ao tentar comunicação com outros estados americanos sobre os fatos, nota-se que todas as linhas telefônicas estão mudas e a televisão fora do ar, restando apenas o velho telégrafo. Com a cidade em pânico e o caos instaurado, as pistas vão sendo ligadas chegando a um aparelho eletrônico que emite ondas especiais e estavam em posse de uma das mulheres suspeitas, os aparelhos distribuídos por toda a cidade, sem saber o número ao certo de aparelhos existentes, estas ondas causavam as manchas e dores que afetam apenas as pessoas que não possuíam certo tipo sanguíneo, morrendo em questão de horas.
Ao investigar o DNA de uma das mulheres suspeitas, descobre-se a ligação com o desenho do velho do hospital, tratava-se de um ser haplóide e apenas os homens com tipo sanguíneo AB estavam imunes as ondas emitidas pelas mulheres.
O que resta é um pequeno grupo de homens prisioneiros que tentam impedir que esta conspiração siga em frente e tentar salvar o que restou do mundo.





…dos livros que lí(8)

14 04 2010

Título: Honoráveis Bandidos – Um retrato do Brasil na era Sarney
Editora: Geração Editorial
Lançamento: 2009
Autor: Palmério Dória

Todos aqueles que se interessam por uma quantidade mínima de notícias sobre política devem ler este livro.
O sub título desta obra “Um retrato do Brasil na era Sarney” leva estanpada na capa a cara dele, a velha raposa da política brasileira ou podemos chamá-lo de um dos últimos coronéis “old school” feudais em atividade no Brasil, no Maranhão mais especificamente.
Este autor fez uma biografia, obviamente não autorizada, do atual presidente do senado, o cidadão que fez pupílos e história utilizando táticas das melhores escolas da máfia mundial e viu seus feitos ameaçados por denúncias baseadas em escuta telefonica, falhas de conduta dentro do clã cometidas por seus rebentos, Fernando e Rosena ameaçando a hegemonia do clã Sarney.
O bombástico 2 de fevereiro de 2009 fez José Sarney, Sir Ney em algumas versões, colocar todas as cartas em jogo, aliás, cartas é o que não falta no capítulo da Rainha de verde – menção ao gosto da filha pela jogatina, Sarney coçou a cabeça, mais uma vez provocando alvoroço no cenário político brasileiro, dancinhas comemorativas em salas secretas,  abuso de cotas aéreas dos parlamentares e imposição de censura a um dos maiores jornais do país, o Estadão.
É um desafio e tanto escrever um livro sobre escândalos políticos diante de tantos que surgem diariamente, possivelmente Palmério Dória sabia disso e mesmo assim seguiu em frente com uma narrativa despojada de palavras rebuscadas e enfadonhos discursos políticos mas usando o bom humor e seriedade.
Após a leitura deste livro garanto que boa parte das notícias políticas serão velhas conhecidas dos leitores. Todos os nomes dos envolvidos nos 50 anos de vida pública “imaculada” do presidente da câmara estão no índice remissivo, logo após um retrato cronológico do Brasil durante os 50 anos de vida de nosso personagem.
Aspirantes a malandragem política, aprendam com este homem!





…dos livros que lí(7)

10 01 2010

Título: Os Libertinos
Editora: Circulo do Livro
Lançamento: 1964
Autor: Harold Robbins

Terminei de ler há pouco, é possível que minha resenha esteja sob influência emocional resultante de 700 páginas que nem senti durante o processo de leitura.
Este livro teve um gosto especial, além de ser um romance coincidiu com uma situação pessoal que vivi e faz parte de todo o livro, conspirações, traições, sede de poder, vulgaridade e egoísmo. Creio que daria uma ótima série caso pudesse ser filmado e um bom texto caso eu conte a minha história.
O romance trata de uma verdadeira saga, a luta pelo poder e o constante paradigma ditatorial que permeia os países latinos. A história se dá em um país fictício na América do Sul chamado Conterguay, o governo ora mostra-se de direita e ora de esquerda mas sempre totalitário, sempre sujeito aos caprichos de seu presidente tornando a instabilidade parte de sua história como muitos países latinos reais.
O personagem principal, conhecido por Dax, tem a missão de  tornar-se influente e conseguir benefícios comerciais para seu povo no exterior.
O círculo de amizades conquistado durante sua educação fora do país irá mais cedo ou mais tarde pesar sobre seus valores e forçá-lo as decisões inesperadas. Voltando ao país e sendo constantemente sob a mira dos bandoleiros que ficaram mais vivos do nunca desde sua saída e o governo do amigo de seu pai, tornar-se embaixador e comandante de um exército. Dax encontra-se em um jogo de interesses, tanto pessoal quanto por parte do presidente de seu país e assim entre altos e baixos ele tem seus dias cumpridos.
Um romance extremamente cheio de fortes emoções e vidas que cruzam em momentos favoráveis e frustrantes, algumas partes podem parecer mera ficção e exagero mas muitos acontecimentos já foram por muitos de nós latinos. Recomendo!





Sobre os sebos

15 08 2009

Qual a magia dos sebos? Já reparou que a sensação de entrar num sebo é totalmente antagônica a de uma livraria sendo que o mesmo livro que estava lá naquela livraria suntuosa cheio de destaque, meses, anos depois estará em alguma parte das prateleiras abarrotadas, aparentemente sendo mais um livro entre tantos a espera de uma nova descoberta.
Particularmente eu tenho certo fascínio por sebos, não sei ao certo quando isso  começou, creio que por volta de meus 15 anos quando um amigo de infância me convidou para ir ao centro da cidade procurar alguns vinís, naquele dia entramos em uns três sebos e então descobri coisas fantásticas sobre coisas que as pessoas não se interessam mais.
No sebo há livros que nunca imaginamos que pudessem ser publicados, é possível achar raridades culturais, incluo: vinís, quadrinhos e revistas antiquíssimas, tudo isso na sua frente e em muitos casos por um preço insignificante perto do sigfnicado sentimental da obra.
Existem sebos que podemos fazer uma verdadeira viagem ao passado, por exemplo, em meio aquelas revistas de atualidades, muitas não existem mais nos dias atuais e fazer um estudos de suas cacterísticas, desde a arte até o conteúdo, fotos, um verdadeiro mergulho antropológico, estou exagerando?
Entendo que há pessoas que recorrem aos sebos assim como poderiam recorrer a uma biblioteca, apenas para ter aquele exemplar “rodado” e acrescenar o nome a lista dos leitores daquele mesmo livro e qual é a diferença? Bom… aí é com cada um, pode ser o cheiro, a capa, uma versão especial, qualquer coisa que faz destes lugares uma cultura a parte.
Hoje encontramos muitas maneiras de ter um livro de “segunda mão” por um preço honesto, falo da evolução informacional que nos proporciona achar endereços de sebos via internet em qualquer lugar do Brasil. Há alguns anos encontrei um site que se propusera a fazer isso, cadastar sebos e seus acervos e num clique você encontra muitas opções, não é querendo fazer merchan mas deixo a dica para acesso e creio que você achará aquele livro que não encontra mais nas livrarias de grife e por um preço justo quando não, excelentes!
Coincidentemente, enquanto fazia o rascunho deste post encontrei outro post relacionado a sebos.

Creio que essa tecnologia não afastará os frequentadores de sebos fisicamente falando, apenas irá fortalecer a troca de livros e dar uma nova face a esses redutos fantásticos de cultura. Vida longa aos sebos!





…dos livros que lí(6)

10 08 2009

Título: O Relatório da CIA
Editora: Ediouro
Lançamento: 2006
Autor: Introdução: Heródoto Barbeiro

Creio que as pessoas que gostam de assuntos relacinados a política global e tendências sociais vão gostar. Com base nos relatórios enviados a CIA e livro faz uma previsão de como andarão os mais diversos setores da economia global até 2020.
Encontramos uma detalhada explicação das relações internacionais dos Estados Unidos com os demais países do mundo e como as demais potências do globo irão trabalhar suas estratégias, recursos naturais, alianças de defesa, gastos militares, enfim, o livro consegue explicar de uma maneira digestível quais as dificuldades que enfrentaremos e como isso influenciará o desenvolvimento de novas potências, entre elas, o Brasil.
O livro tem base nos relátórios de grandes especialistas em diversas áreas do mundo com relatos comuns de um futuro que parece ter seu plano traçado e até onde sei, a versão brasileira deste livro conta com duas introduções, uma de Heródoto Barbeiro e outra francesa por Alexandre Adler.
Talvez a pior sensação é você ver que alguns fatos descritos já ocorreram considerando a data de publicação(2006), sabe aqueles previsões sociais caóticas que você em documentários televisivos? Sim, é possível! Mundo de Davos? Pax Americana? Novo Califado? Ciclo do medo? Onda tecnológica? Tudo isso bem explicado.





…dos livros que lí(5)

20 06 2009

ortodoxia.inddTítulo: Ortodoxia
Editora: Mundo Cristão
Lançamento: 2008
Autor: G. K. Chesterton

Pena que apenas este livro encontra-se traduzido para a língua portuguesa. G. K. Chesterton é considerado um dos mais influentes escritores do século XX na defesa da fé cristã. Suas obras influenciaram grandes nomes da literatura como C.S. Lewis e Jorge Luis Borges.
Neste livro Chesterton, procura explicar sua crença e responde questões fundamentais da vida, de forma filosófica expõe os motivos que o levaram a debater seus valores com outros grandes escritores de sua época.
Sua defesa a favor da fé cristã torna a obra um grande tratado apologético  não deixando de fora temas atuais do mundo moderno, passando por política, sexo e movimentos ideológicos ao longo da história.
Particularmente este livro reforçou algumas de minhas idéias no mundo ocidental, o otimismo diante de nossa realidade caótica e uma explicação plausível dos paradoxos da Igreja.
Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Bernad Shaw, H.G.Wells são alguns dos nomes que o autor livro mantem diálogo ao longo de suas respostas.
Vale a pena ler e refletir!