Sanidade mental*

2 03 2008

Há quem diga que saúde é a base do ser humano para estar bem, sim, de fato, um ser humano sem saúde não é nada mas se questionarmos que tipo de saúde estamos ele precisa, chegamos ao ponto da discussão, quantos são os seres humanos que dispõem de total vigor físico e possuem uma mente lesada? Isso mesmo, le-sa-da! Pode parecer uma palavra forte para classificarmos um estado de mente, mas quantas vezes nos deparamos com pessoas que não possuem problema algum e mesmo assim se acham obesas ou magras demais e que se cobram por essas mudanças, tomam remédios para inibir o apetite quando não se enchem de substancias ligeiramente ilegais para obter o resultado que almejam.

Existem seres humanos que o problema nem é a aparência, é moral mesmo! O que dizer dos invejosos, corruptos, ladrões, manipuladores, egoístas, mentirosos quem não conseguem viver horas, dias, meses, anos sem cometerem seus delitos? Nem vou entrar no mérito dos desses atos levados aos extremos veiculados diariamente nos meios de comunicação.

Já tentou imaginar quantas pessoas traumatizadas e de espíritos amargos andam pela cidade dentro de um corpo saudável ao meu e seu lado?

Muitas vezes os doentes estão do lado de fora do hospital, se você chegou a ler “O Alienista” de Machado de Assis, provavelmente tem uma idéia melhor do que estou falando, sorrir é um ótimo exercício, melhor ainda se for sincero.

Sugiro uma proposta com esse texto, “Sanidade mental já!”, equilíbrio entre corpo, mente e espírito, não necessariamente nessa ordem mas em equilíbrio.

*Originalmente esse texto era para ter sido publicado em um zine mas devido ao alto volume de informações propagadas atualmente, optei por este blog limitando-me ao tema “Manifesto”.