Inquietações(2)

21 02 2009

As vezes só queremos um pouco de paz, sussego e traquilidade. Pode parecer fácil dizer isso mas quantas são as pessoas que tudo o que desejam é “só” isso? Ter a sensação que sua vida é controlada por sistemas não é nada agradável, não me refiro a sistemas informatizados, aliás quem trabalha com esses tipos de sistemas sabe muito bem do é ter sua ateção cortada a qualquer momento por displays de mensagens urgentes. Quando digo ter a vida controlada por sistemas é sentir a cobrança de todos os lados e muito mais quando se está cansado, exausto, querer babar sobre o travesseiro em virtude de excesso de informação que você tenta assimiliar. Todo mundo quer um pouquinho, imagine se fossemos como formigas que deixam trilhas de feromônio a cada solicitação de atenção, o feromônio serve como modo de comunicação entre as formigas forrageiras, sobre o quanto longe ela está daquele lugar e de certa forma é um resumo do que está fazendo. De certa forma é a mesma coisa em nosso dia-a-dia, nos justificamos para todo mundo como se deixássemos um pouco de nossa energia com cada um e em cada lugar que passamos e no final do dia, não resta mais nada, nem pra nos manter em pé. As vezes precisamos do silêncio, para ouvir nossos pensamentos e ter bons sonhos, nos sentir por um momento seguros dentro do formigueiro enquanto as outras trabalham do lado fora deixando suas trilhas, seus pedacihos de informações por aí. Um sistema é exato mesmo cheio de variável não há que vá ocorrer de forma inesperada, é o caos sobre controle, não há infinitas variações e o ser humano é imperfeito, volátil, temperamental, cheio de efemeridades, um chaos mais ou menos sob controle, ou seja, ser humano x sistema (em sua maioria) não combinam, só serve para acentuar esse grau de esgotamento mental e grande inquietação.